top of page

Impulsionando a inovação com IA


O tema mais quente no mundo digital vem sendo discutido, cada vez mais, nas organizações dos mais diversos setores: a Inteligência Artificial (IA). E muitos encontros entre líderes e profissionais de tecnologia vêm buscando compartilhar insights sobre como a IA pode impulsionar a inovação inclusiva.


Como as organizações usam a IA hoje

Surpreendentemente, muitos estudos e relatórios ainda apontam para índices muito baixos de uso ativo da IA nas operações diárias de Organizações. Mas o que é IA exatamente? Quando pensando mais em IA generativa - que pode gerar novos conteúdos como imagens, vídeo, texto, música, fala, design de produtos e código de software que parecem ter sido feito por humanos – acabamos esquecendo que a IA existe há muito tempo, apoiando as empresas com chatbots, filtros de spam, revisão, tradução, curadoria e recomendações de conteúdo ou algoritmos de pesquisa preditiva, para citar apenas alguns exemplos. E muitas vezes deixamos de reconhecer estas ferramentas como IA. Ou seja, a porcentagem real de empresas que usam IA é provavelmente muito maior do que pensamos.


Direcionando riscos e benefícios da IA

Para as organizações em geral, isso significa que já está mais do que na hora de implementar diretrizes sobre o uso da IA no trabalho. E uma das principais diretrizes deve ser a atenção plena para os dados com os quais você alimenta suas ferramentas de IA. As tecnologias geralmente coletam grandes quantidades de informações, causando problemas potenciais de segurança e privacidade de dados. Para mitigar os riscos, regulamentos rígidos de segurança digital precisam ser implementados e as pessoas devem ser treinadas no manuseio seguro de informações. Uma segunda responsabilidade essencial é o pensamento crítico ao interpretar os resultados. A falta de transparência nos dados com os quais uma IA é treinada ou em como chega a uma conclusão, pode representar riscos prementes - especialmente nos processos de tomada de decisão - e pode levar a resultados indevidamente direcionados.

 

IA para Inovação Inclusiva

Investir em diversidade no treinamento de IA não apenas reduzirá a discriminação, mas também levará a novas perspectivas e inovações inclusivas. Foi o que aconteceu, por exemplo, no caso da engenheira de software da Microsoft Swetha Machanavajhala, surda desde o nascimento, que construiu o recurso de desfoque de fundo no Microsoft Teams e Skype, simplesmente para que pudesse ler melhor os lábios dos parceiros de conversa. Agora, este é um dos recursos de IA mais usados nessas plataformas por grande parte das pessoas em geral.





— A IA pode ser uma ferramenta poderosa para promover inclusão e inovação, quando usada de maneira responsável. É uma caminhada na corda bamba: usar IA para manter o pioneirismo em tecnologia e garantir a segurança de dados ou usá-la para invadir privacidade. Mas nos mantendo fiéis às nossas regras autoimpostas de diversidade e segurança, centradas no ser humano, a IA pode nos apoiar na criação de valor para nossos usuários.

Ana Gretland

CEO do Grupo FotoWare




Ana Gretland, CEO do Grupo FotoWare, participa da CEO roundtable - uma iniciativa da ODA Nettverk, uma rede para mulheres profissionais de TI, iniciada em 2006, quando um grupo de mulheres da Microsoft e da indústria de TI organizou o primeiro “Inspirational Day” na Microsoft. Desde então, a rede cresceu muito e hoje conta com mais de 10 mil membros. A ODA organiza iniciativas como reuniões, programas de mentoria, workshops e outras iniciativas visando aumentar a diversidade em todos os níveis do setor de TI.



A atual líder da ODA Netwerk, Kine Dahl (no centro) com Anne Gretland (à direita) e Kristine Hofer Næss (à esquerda), cofundadoras e ex-líderes da ODA.




Comments


Recomendado
Recentes
Histórico
Assuntos
Nenhum tag.
Redes Sociais
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page